Conheça 11 habilidades emocionais importantes para as crianças

  • Post author:
  • Post last modified:9 de setembro de 2021
  • Reading time:10 mins read

A aquisição de conhecimentos não é o único fator relevante para a educação infantil. A aprendizagem de habilidades emocionais também é essencial para a formação da personalidade e do caráter, pois se refere a elementos concretos que influenciam diretamente na vida das crianças.

O que são habilidades emocionais?

Diferentemente de habilidades cognitivas, como a memorização e a análise, existem competências referentes às emoções, ao reconhecimento próprio e às relações interpessoais. Elas são conhecidas como emocionais e compõem o conceito de inteligência emocional.

Essas habilidades são essenciais para se viver positivamente em sociedade. Assim, é importante que sejam desenvolvidas nas crianças desde cedo — o que faz uma enorme diferença em suas vidas, tanto agora quanto no futuro.

Quais são as 11 competências emocionais importantes para as crianças?

Veja, a seguir, 11 importantes habilidades emocionais e por quais motivos devemos praticá-las e estimulá-las nas crianças.

1. Autoconfiança

Confiar em si é uma capacidade que fará com que a criança reconheça o potencial dela e consiga realizar sonhos. Isso também significa considerar as próprias vulnerabilidades e identificar o que pode ser melhorado.

A ideia de autoestima é diretamente relacionada a essa competência, então, a família precisa elogiar com frequência as conquistas das crianças e ajudá-las nesse processo de reconhecimento.

Além disso, é necessário demonstrar confiança na capacidade das crianças. Quando elas cometerem erros ou não agirem conforme o esperado, um diálogo aberto e compreensivo é o melhor caminho. Isso significa apontar as características não saudáveis, mas também dizer que você sempre estará lá para apoiar.

2. Coragem

A vida é cheia de desafios, e é preciso ter coragem para enfrentá-los. As crianças entusiasmadas e corajosas conseguem superar os seus medos e progredir na vida.

Diferentemente do que se pode pensar, a coragem não é somente uma virtude que nasce com a pessoa: ela pode ser incentivada e desenvolvida, principalmente pela família. Desse modo, as crianças saberão lidar melhor com os receios e as inseguranças.

3. Persistência

Persistir significa ter resiliência e seguir adiante, mesmo com dificuldades no meio do caminho. A determinação e a força de vontade individual são necessárias para que a pessoa consiga realizar plenamente um projeto.

Especialmente no caso das crianças, é importante ensiná-las a conviver com as frustrações e a reconhecer que nem tudo acontece da maneira que elas desejam. Isso será decisivo para incentivá-las a perseverar nos estudos e na vida, afinal, um bom suporte das pessoas em que você mais confia é um excelente estímulo para realizar qualquer tarefa.

4. Resolução de problemas

Solucionar problemas de forma racional e sem se desesperar é uma competência fundamental para a personalidade. A utilização do pensamento crítico e a capacidade de focar objetivamente na situação contribuem para essa resolução. Da mesma forma, a iniciativa e a proatividade indicam que a pessoa será ativa no processo de descoberta da solução do desafio.

Como trabalhar essa habilidade em uma criança? Uma ótima maneira é utilizar jogos e outros recursos lúdicos que desenvolvam essa competência. Eles podem ser tanto de estratégia quanto baseados em uma lógica narrativa que promova uma experiência em que a criança tenha que resolver um problema.

5. Trabalho em equipe

Essa é uma das principais habilidades emocionais! A capacidade de trabalhar construtivamente com outras pessoas em prol de um objetivo comum é essencial para a vida, pois influencia em realidades como a escola, o trabalho e a família.

Cooperar significa, também, confiar no seu colega, agir com entusiasmo dentro de uma atividade coletiva e se engajar.

O trabalho em grupo é muito importante na educação infantil, especialmente para o desenvolvimento da sociabilidade das crianças. As brincadeiras e os relacionamentos com outras crianças são elementos interativos que as ensinam, desde cedo, a serem colaborativas, desinibidas e conscientes com o próximo.

6. Paciência

A habilidade de ser paciente e saber lidar com as dificuldades de forma responsável ajuda a construir uma personalidade compreensiva e tolerante.

No caso das crianças, cabe ensinar que tudo tem o seu tempo e que elas não conseguirão ter controle sobre todas as situações, como a hora de utilizar um brinquedo específico, de ir a uma lanchonete ou de encontrar algum coleguinha.

7. Altruísmo

Essa competência significa ajudar as outras pessoas e não ser egoísta. Em uma análise mais profunda, o altruísmo estimula o indivíduo a se engajar e a contribuir positivamente para a sociedade a partir de iniciativas que visem ao bem comum.

Estimular práticas cidadãs é a melhor forma de incutir esse valor nas crianças. Existem atividades propícias para isso, como a visita a asilos, a orientação sobre o consumo sustentável e o incentivo a respeitar o meio ambiente.

8. Comunicação

A habilidade emocional de se expressar com objetividade é decisiva para o sucesso, mas cabe dizer que a comunicação é uma via de mão dupla, ou seja, não adianta falar bem se o ouvinte não compreender a sua intenção.

O estabelecimento de um diálogo não impositivo envolve a capacidade de escutar respeitosamente opiniões divergentes da sua e de conversar com base em argumentos fundamentados.

A melhor maneira de desenvolver a comunicação é conversar com seus filhos diariamente. Pergunte como foi o dia na escola, se fizeram alguma nova amizade ou o que eles desejam para o fim de semana. Não deixe de perguntar se algo os está incomodando ou se eles estão tristes. Assim, você pode encorajá-los a expressar as emoções e a comunicá-las de forma construtiva.

9. Empatia

No conjunto das habilidades emocionais, essa é uma das mais famosas. A empatia corresponde a se colocar no lugar do outro, a tolerar características e opiniões alheias. Ter empatia significa reconhecer que existem diferentes pontos de vista sobre uma situação que podem ser divergentes do seu.

As amizades infantis são um espaço frequente para se exercitar a empatia. É importante que a família ensine as crianças a serem cordiais com os amigos, a respeitar os sentimentos das outras pessoas e a pedir desculpas quando for necessário. Além disso, o contato com uma diversidade cultural que apresente hábitos e valores plurais ajuda as crianças a compreender que existem realidades diferentes que devem ser valorizadas.

10. Abertura ao novo

O mundo está em constante mudança, e é fundamental ser capaz de se adaptar e de acolher essas transformações. Abrir-se ao novo significa não se fixar somente em um referencial e considerar sempre a possibilidade de novas e melhores alternativas para se solucionar um problema.

Essa competência incentiva que as pessoas sejam criativas, imaginativas e curiosas — fator que diz respeito, principalmente, à educação infantil. As crianças precisam praticar atividades em casa e na escola que estimulem a sua autonomia e o seu espírito criativo, sempre com o propósito de criar algo construtivo.

11. Responsabilidade

Ser responsável significa ter cuidado com o que é seu e também com o que pertence aos outros. No aspecto individual, a responsabilidade implica realizar compromissos firmados e agir de maneira sensata. Por outro lado, ela também corresponde ao senso de coletividade, ou seja, considerar que as suas ações podem ter consequências para as demais pessoas.

Essa virtude deve ser ensinada desde cedo às crianças. Inicialmente, a família pode designar pequenas responsabilidades, como guardar os brinquedos e ajudar a retirar os talheres da mesa depois da refeição. Conforme as crianças crescem, elas podem assumir tarefas mais complexas, como limpar a casa ou ajudar nos cuidados com os irmãos mais novos.

Fonte: Escola da Inteligência