Por que o Enem regular de 2021 terá duas aplicações?

  • Post author:
  • Post last modified:10 de novembro de 2021
  • Reading time:3 mins read

Provas serão aplicadas em novembro de 2021 e janeiro de 2022

As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2021 é uma oportunidade para os brasileiros que desejam ingressar no ensino superior. A avaliação acontece anualmente em dois domingos consecutivos e reúne milhares de vestibulandos de todo o país. Nesta edição as provas terão duas aplicações regulares. A primeira acontece nos dias 21 e 28 de novembro de 2021 e a segunda em 9 e 16 de janeiro de 2022.

Afinal, por que o Enem 2021 terá duas aplicações?

Enem de 2021 terá duas aplicações devido à reabertura das inscrições que ocorreu neste segundo semestre do ano. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) concedeu uma nova oportunidade para os interessados em participar do exame que conseguiram isenção da avaliação no ano anterior, mas não compareceram aos dias de provas devido ao contexto de pandemia de Covid-19.

A iniciativa ocorreu após decisão do Supremo Tribunal Federal, uma vez que esse público não conseguiu solicitar isenção no Enem 2021 por não ter um documento que comprovasse a sua não participação no exame. De acordo com o edital do Enem, para justificar a ausência da edição anterior e conseguir novamente o benefício é necessário apresentar alguma documentação que esteja dentro das exigências do Inep.

Sobre o Enem 2021


No primeiro período de cadastro (isentos e não isentos) foram confirmadas 3.109.762 inscrições. Desse total, 3.040.871 se inscreveram para a versão tradicional em papel e 101.100 para ocupação das vagas para a modalidade digital, em que as questões objetivas serão respondidas em um computador fornecido no local de prova. Já no segundo momento de inscrição (apenas para isentos) foram registrados 280.145 inscritos.

As provas são compostas de 180 questões de quatro áreas de conhecimento. Com os resultados, os participantes podem pleitear uma vaga no ensino superior de forma direta com a instituição de ensino ou por meio dos processos seletivos dos programas do governo: Sisu, Fies e Prouni.

Fonte: E+B Educação